MARCAS CIDADÃS

Ao acompanhar marcas no melhor entendimento do seu propósito, encontramos o nosso melhor propósito

A vontade de integrar e monitorizar, de forma definitiva, temas de cidadania e ética individual e empresarial afirmou-se no C-Lab em 2016, na sequência do estudo ‘Marcas Cidadãs: antecipando as expectativas do consumidor’. Essa disposição corporizou-se em 2019 no Barómetro ‘Marcas Cidadãs’, na primeira edição focando a sustentabilidade ambiental, então o maior apelo das empresas clientes.
Ao perceber o desenvolvimento sustentável como uma visão de progresso que permita o alcance de qualidade de vida para todos – suportado em valores que representam maior justiça, não apenas ambiental, mas também social, económica e cultural – o C-Lab avançou com uma declinação do Barómetro para o que denomina ‘Empatia Social: inclusão e coesão’. Em paralelo aos Barómetros e às investigações que decorrem no seio da Comunidade, o C-Lab colabora com outras entidades em projectos que tenham como propósito criar conhecimento que agilize negócios e modelos de vida mais sustentáveis.

BARÓMETROS
— AMBIENTAL —
Medimos em continuidade percepções e comportamentos pró-ambiente

O processo está a decorrer e é irreversível. A nível internacional e local, a agenda da sustentabilidade vai-se traduzindo em acções de sensibilização e medidas concretas de mudança, tanto públicas como privadas. O consumidor dá sinais de estar a acompanhar, activa ou reactivamente, essa tendência. O Barómetro ‘Marcas Cidadãs: ambiental’ informa e actualiza bianualmente as marcas sobre o processo de mudança em curso e sobre a evolução da segmentação fina criada em 2019.

Que grandes temas estão a preocupar os cidadãos? O que os influencia? Que eventos sinalizam como contributos para a mudança nas decisões de consumo e comportamentos quotidianos? Que barreiras subsistem?

— EMPATIA SOCIAL —
Ajudamos marcas e empresas a desenhar o seu contributo para a coesão e inclusão social

Embora Portugal pertença ao grupo dos países desenvolvidos, onde o Estado Social assegura que a maioria da população tem as necessidades básicas atendidas, há evidência de problemas crónicos: a taxa de risco de pobreza é de 18,3% (UE 16,9%), a taxa de abandono escolar de 11,8% (EU 10,6%) e quase um milhão de idosos está em situação de solidão ou isolamento.

Neste quadro, o Barómetro ‘Marcas Cidadãs: Empatia Social’ procura atender aos problemas sociais relacionados com a população em risco e mais desprotegida (inclusão), enquanto diagnostica outras necessidades do mundo moderno que acrescentam preocupações de coesão ao entendimento do que é a sustentabilidade social.

— O USO DA ÁGUA EM PORTUGAL —

Em colaboração com a Gulbenkian, um projecto para uma nova ‘cultura da água’

Num cenário provável, segundo cientistas, de Portugal se confrontar com a escassez de água já nas próximas duas décadas, o Programa de Desenvolvimento Sustentável da Gulbenkian desafiou o C-Lab a compreender percepções e comportamentos dos principais utilizadores do recurso: agricultores e cidadãos comuns. “O uso da água em Portugal: olhar, compreender e actuar com os protagonistas chave”, publicado em Julho de 2020, pretende ser o primeiro passo para a criação de uma nova ‘Cultura da Água’ em Portugal. O carácter ‘de Comunidade’ do C-Lab será convocado no acompanhamento da fase de disseminação e activação do conhecimento.